Semana passada eu tive a oportunidade de prestigiar uma apresentação de DANÇA DO VENTRE de cinco Mulheres, três delas são surdas! A apresentação ocorreu na Sociedade dos Surdos do Rio Grande do Sul (SSRS) em Porto Alegre/RS. O som da música se propagava no ar e as que não ouviam, sentiam somente a vibração pela madeira do palco.
A professora mirim Laís Müller, ouvinte, é uma garotinha de 14 anos de idade que as ensina a balançar os quadris, tem experiência nesta arte há 6 anos. As alunas que ouvem comunicam-se também em Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) e explicam os passos ao trio!
O som das caixas ajudam as meninas que não ouvem a sentir a vibração, além disso elas seguem também os passos das colegas e da professora.

Segue abaixo a reportagem que foi publicada na Zero Hora e a foto da apresentação que assisti! Foi show!

Dança do Ventre

Em meu livro, relato que na minha adolescência também fiz aulas de Dança do Ventre, foram lembranças maravilhosas! Realizeiscan0013 algumas apresentações, o grande desafio foi num mega evento de aniversário de 60 anos, foi uma mistura de ansiedade, nervosismo e orgulho!! É claro que eu sempre tinha que acompanhar os passos e ritmo da Profª Cristina Melnik (também psicóloga). Mesmo com os aparelhos auditivos (AASI) anteriores era muito difícil de distinguir melodias numa música, os sons pareciam estar tudo num “mesmo saco”, mas pelo menos era melhor do que ficar sem eles, pois ficaria num silêncio total…

Neste dia quando apreciei as meninas dançarem no palco, eu percebi a melodia com mais clareza do que naquela época, mesmo não tendo a audição completa, mas com estes novos AASI estão bem mais altos, com a tecnologia mais avançada e com muito mais recursos! Os sons já não misturam tanto. E elas dançaram lindamente!! PARABÉNS a Profª Laís Müller e à todas meninas!