O que é “Entonação de voz”? Em termos do nosso idioma brasileiro, é articular as palavras e dar sentido em sua voz, como por exemplo:

– Hoje o dia está liiiindo!!! Dando ênfase no que está sentindo na ocasião. Caso contrário, a pessoa que ouve, percebe que o dia não está tão lindo para ela.

Isto é só um exemplo, que não chega a prejudicar o sentido da frase, mas há outras que pode mudar totalmente o sentido, já aconteceu muitas vezes comigo quando criança/adolescente que as pessoas ficavam em dúvida se eu estava perguntando ou afirmando…. Eu chegava dizer: Reponde-me, ora!! Elas me diziam que achavam que eu estava afirmando! Foi de rir nessa época…

Assim como todos sabem que tenho a Língua Portuguesa como 1º Língua, pois cresci envolta de pessoas ouvintes e fui assimilando esta língua desde bebê. E só mais tarde aprendi LIBRAS, na qual se tornou a 2ª Língua, com muito orgulho!

Também existem outros idiomas que precisam ainda mais entonação, o mandarim é um deles: em uma só palavra, eles utilizam variadas entonações diferentes para dar outro significado. Devido a isso, eles desenvolveram uma sensibilidade auditiva impressionante!

Para as crianças que nasceram sem conhecer o som, e ainda aprender como articular as palavras com entonação, tudo se torna mil vezes mais difícil, mas claro que hoje em dia tem variados aparelhos auditivos – AASI ultra potentes e com muitos recursos (sempre deve-se lembrar que a regulagem dos mesmos devem estar de acordo com a perda auditiva e as fonoaudiólogas precisam estar SEMPRE ao par do histórico dos pacientes). Há também os Implantes Cocleares – IC que têm sido um sucesso para várias pessoas.

Então, como foi feito comigo para alcançar na melhor maneira possível a essa tal entonação da voz?

Com muito trabalho e diversão, uma delas foi a música. Além de atendimentos com as fonoaudiólogas, minha mãe sempre estava atenta em tudo que eu gostava ao meu redor e adaptava-os para os meus exercícios fonológicos e minha relação com o mundo. Nada foi fácil, levava semanas para entender cada uma das frases da música, com muitas brincadeiras e desenhos coloridos para representá-las. Assim como relatei em meu livro: O primeiro trabalho foi com a música do filme “The Sound of music” – Noviça Rebelde, filme criado em 1959 com a famosa cantora Julie Andrews, e para o meu espanto esses dias encontrei a página do filme no facebook com 2,2 milhões de seguidores (clique na imagem abaixo para conhecer a página):

Untitled-1

 

Não imaginei que o filme fez tanto sucesso e ainda faz!! Foi quando eu tinha uns seis anos de idade, minha mãe me ensinou a letra da música deste filme que dizia (com tradução para português):

 

Dó,

um lindo, lindo dia

Ré,

reluz o ouro em pó

Mi,

assim eu chamo a mim

Fá,

é fácil de aprender

Sol,

um grande amigo sol

Lá,

é bem longe daqui

Si, indica condição vem um

Dó…

(refrão)

Abaixo o filme original em inglês, não há legendas (não encontrei), mas eles estão cantando o “Dó, ré, mi”, cena na qual aprendi a cantar:

http://youtu.be/xIjobdArtiA

Assim que assimilei totalmente o sentido da música, fomos para a 2ª etapa: entonação/ritmo desta música, minha mãe me demonstrava com suas mãos e também sua “expressão facial e corporal” o ritmo desta música. Então eu estava sempre relacionando a minha voz com as mãos, o rosto e o corpo dela… A percepção visual era muito forte e constante!

Ela também tornou-se maestra no papel, sinalizando com canetas coloridas: Sílabas fortes, curtas e longas. Para que eu soubesse o seu ritmo. Além disso, ela também colava este papel na parede e me pegava no colo, me balançava, ou seja dançando conforme o ritmo dessas sílabas sinalizadas!

2014-01-10 16.25.16

 

Foi assim com o tempo fui percebendo que na nossa fala, também tinha a sua expressão vocal, quase 100% demonstramos em nossa voz o que sentimos no momento! Hoje, eu mesma faço essa “maestria” de músicas no papel, com esses AASI tão maravilhosos, ouço as músicas (preferencialmente acústicas, pois são mais fáceis de entender), ao mesmo tempo leio a letra de música, para assim poder cantar no ritmo certinho!

Tanto a comunicação da LIBRAS como também através da leitura labial, a entonação da voz é substituída pelas “expressões faciais e corporais”, que também promove ênfase dos sentimentos!