Ramarone Vieira 1

“Ramarone Vieira nasceu em torres, no hospital Nossa Senhora dos Navegantes, em 17 de julho de 1983. O nascimento dele foi uma alegria para o seu pai Rosaldo, que era solteiro com apenas 21 anos de idade. A mãe de Ramarone também era muito jovem, não tinha condições financeiras para cuidar do bebê, resolveu então a deixá-lo com o pai e foi embora para outra cidade. E foi assim que o pai passou a cuidar de Ramarone.

Aos 2 anos e 6 meses de idade, Ramarone contraiu a Meningite, foi levado ao hospital em Torres, demoraram muito para atendê-lo, foi encaminhado então para Porto Alegre-RS, ficou muito tempo no hospital, em seguida contraiu Sarampo levando-o ao coma, dependia de aparelhos para respirar e sobreviver, seu pai e sua avó (paterna) acompanhavam a cada instante. Com o tempo o bebê foi se recuperando, voltou a respirar, a enxergar, voltou a andar com muita fisioterapia e acupuntura, porque para ele era muito difícil de segurar as coisas com firmeza, e além disso perdeu a audição…

“Eu tinha dois anos de idade, e por incrível que pareça, eu falava tudo, certinho, as pessoas se admiravam de como um pequeno podia falar tanto!! sim, eu ouvia, e então falava!”

Todo o susto já havia passado, o bebê estava recuperado, voltou para Torres com seus avós e tia, e seu pai morava em Porto Alegre para trabalhar, com a intenção de que um dia Ramarone fosse morar com ele. Mas em 1986, quando Ramarone tinha 3 anos de idade, seu pai foi ao trabalho de carro (fusca), e quando desceu em uma rua bem acentuada na capital, sofreu acidente e faleceu no local, ele faria 24 anos de idade naquele ano…

“Eu quase não lembro, mas eu sinto, eu sinto o grande amor que meu pai tinha por mim”

Mais tarde, aos oito anos de idade Ramarone voltou a morar em POA, com a tia Roberta, irmã de seu pai, que a chama de mãe até hoje, pois em POA ele fazia fonoaudiologia e tinha escola especial. Sua mãe, sempre preocupada com futuro e saúde do pequeno, inspirada na paixão pelo surf que vivia o pai Rosaldo, tia Roberta presenteou o Ramarone com uma linda prancha de surf, no natal, aos 11 anos de idade.

Com a prancha nova, ele começou a treinar muito na praia de Torres, e em POA sua mãe o levava para ter aula de natação, sempre que voltava a Torres ele se aventurava em seus treinos no mar, aos poucos ele foi aprendendo, persistiu muito, como sempre…

“Uma sementinha foi plantada lá, para dar início de tudo…Venci!” 

Hoje ele participa em competições em Torres e Santa Catarina e trabalha no hospital Nossa Senhora dos Navegantes, no mesmo local ele nasceu, que interessante!

Ramarone quer continuar lutando pelo esporte, seu sonho é surfar pelo mundo a fora, e viver uma linda história de amor em família, ensinar para o seu filho dominar a prancha nas ondas!

Uma trajetória que no início foi muito difícil para ele e sua família paterna, mas a tempestade transformou-se em vitória, ele desdobrou as habilidades de seu pai com um magnífico desempenho e sucesso!

Parabéns Campeão!!

Ramarone Vieira 4